Vamos ao mercado?

Uma estratégia de Go-to-Market fortalece o planejamento da empresa, gera aprendizado e garante vantagem competitiva.


Quando iniciamos um novo negócio ou lançamos um produto, sendo a venda o objetivo, a definição do alvo é fundamental para o sucesso. Portanto, atirar para todos os lados não é a melhor estratégia de Marketing Digital. Também é preciso entender para quem esse produto será útil e qual a estratégia para alcançar as pessoas dispostas a comprá-lo.

O plano de implementação da estratégia e do posicionamento que garante vantagem competitiva tendo como foco a tríade – o que vender, para quem vender e como vender – denomina-se Go-to-Market.

Mas assim como qualquer estratégia, é preciso constituir um plano e entender, de forma analítica, o que pode dar certo ou errado.

Abaixo seguem as 5 razões principais pelas quais o seu Go-to-Market pode falhar:

1. O produto não atende uma necessidade real da persona

O desenvolvimento de um produto sempre deve atender uma necessidade real do seu público, caso contrário, a proposta de valor não será válida. Como exemplo, vamos imaginar a venda de prancha de surfe para pessoas da terceira idade. É provável que a prancha não atenda uma necessidade real, não é mesmo?

2. O produto não consegue resolver a dor da sua persona

O seu produto pode tentar resolver a dor da sua persona e falhar. Observe que não é um desafio exclusivo de Marketing Digital, mas pode envolver o design do produto.

3. Subestimar a dificuldade de atrair clientes para o seu produto

Muitos acham que, pelo fato de montar um e-commerce, o mesmo funcionará sozinho. Como atrair o público diante de tantas opções na internet?

4. Péssimas decisões de investimento no Marketing Digital

Um erro frequente é achar que, pelo fato de vender através de um canal específico, por exemplo, o Facebook, optar por investir mais nessa rede e achar que as vendas aumentarão. Existem considerações e mensurações ao longo do processo para determinar se faz sentido investimentos implementais ou não.

5. Seleção errada de canais

E-mail, redes sociais como o Facebook, Instagram e LinkedIn, Google Ads e Display, retargeting, remarketing, afiliados, entre outros tantos canais de Marketing Digital que se pode investir para a atração de clientes. A escolha desses canais, qual usar, quanto usar, em que situação e em qual ponto do ciclo de vida do usuário, são decisões que envolve investimento e conhecimento da estratégia do seu produto.

Por isso é preciso estruturar todos os parâmetros envolvidos na execução e suas estimativas para serem aperfeiçoadas ao longo do processo, gerando aprendizado no monitoramento dos erros e revalidando conforme a execução.

Um forte abraço e até a próxima!

 

Clique aqui e conheça alguns benefícios do Marketing de Conteúdo >